Autoconhecimento = Libertação

out 20, 2015 / 0 comments

Quantas vezes você disse ou ouviu alguém dizer que não sabe de onde tirou forças para superar determinadas situações?
Essa caixinha de surpresas que é o nosso cérebro contém muito mais surpresas do que imaginamos. Você sabia que nós carregamos um cérebro com aproximadamente 100 bilhões de neurônios? É muita coisa! Eu não sou cientista e não me atreveria a explicar o que isso significa, no entanto, como estudiosa do comportamento humano e uma eterna curiosa acerca das capacidades humanas, fico imaginando quantas coisas podem estar escondidas no meio de tanto neurônio.
A ciência afirma que nós não usamos toda a nossa capacidade cerebral, mas o que me encoraja a acreditar que, mesmo sem utilizarmos toda essa potência, podemos sim ser e estar cada vez melhores, é o fato de que podemos exercitar o nosso cérebro para superar limites, obter melhores performances e surpreender a nós mesmos com os feitos que somos aptos a realizar e nem sabemos.
Mas como? Segundo o que estudamos em Coaching e Psicologia Positiva, um dos caminhos mais eficazes e assertivos é através do autoconhecimento.
Ah! Você pode estar afirmando que se conhece muito bem, obrigada! Mas eu o desafio. Conhece mesmo? E digo mais, se você se conhece e está infeliz ou perdido na vida, isso é uma incongruência. Porque quem se conhece mais profundamente, quem sabe do seu valor, das suas competências e como utilizar tudo isso a seu favor, está pelo menos um estágio à frente de quem não se conhece (e se realiza!).
O autoconhecimento é libertador. O autoconhecimento nos impulsiona a fazer escolhas mais assertivas, a planejar ações considerando os nossos valores de vida e as nossas necessidades. Mas como planejar e ter sucesso se eu não sei claramente quais são os valores que me representam? Se eu não sei quais são as minhas reais competências e qual o meu propósito de vida?
Em Alice no País das Maravilhas, ela pergunta ao gato qual o caminho deve seguir. Ele pergunta a ela para onde quer ir, mas ela não sabe responder e então ele lhe diz: “se você não sabe para onde quer ir, então qualquer caminho serve”.
Isso pode ser aplicado a quem não se conhece profundamente. Se não conhecemos e reconhecemos o nosso potencial, fatalmente estamos condenados a sermos conduzidos pelas circunstâncias e não poderemos escolher o que queremos para a nossa vida.
E você? Sabe para onde quer ir? Aonde quer chegar? Sabe quais são as suas fortalezas, as suas competências? Isso é essencial para que sejamos protagonistas da nossa própria história.

Por Luciana Maris

Comments (0)

Leave a comment